Arquivo para categoria Blogs

Quero um Nokia N96 no Natal

Como assim Bial? Eu também quero…

É assim, o blog Diversidades vai dar um belo Nokia N96 no Natal pra algum sortudo que fizer um post sobre essa promoção, fizer um pingback, mandar um e-mail de confirmação e convidar mais 5 blogueiros para participar. Fora isso, só precisa fazer um post dizendo porque você quer ganhar o N96. Clique aqui e veja o post oficial.

Quero ganhar um Nokia N96 do Blog Diversidades porque….bem, é sempre bom ter como registrar os bons momentos com os amigos e seria fantástico poder registrar esses momentos com um N96. Além do mais, putz, o que fazer quando você empresta seu celular na maior boa vontade pra sua irmã e a infeliz consegue derrubar e DESPEDAÇAR o aparelho? Eu preciso de um novo, oras.

Finalizando, convido a Drica, a Mila, a Gabriela, o Josias e a Jeny com o blog que nunca é atualizado dela. ^^

Se perderem esse Meme, por favor, se matem…

Pequena compilação do N96 kibada diretamente do post da promoção:

-gravação de vídeo com alta qualidade (640×480 pixels e 30 fps);
-tela colorida de LCD de 2,8” e resolução de 240×320 pixels;
-GPS;
-16 GB de memória interna, expansível até 32 GB com cartão de memória;
-acesso à internet por rede sem fio;
-câmera fotográfica de 5.0 megapixels e lentes Carl Zeiss;
-rádio FM;
-MP3 Player;
-envia e recebe e-mails com anexos;
-leitor de feeds;

N96

3 Comentários

Triste

Assim ta difícil….não bastasse depressão e dia dos namorados sem minha Eve, tava espiando uns blogs e tive a pior notícia do dia…A BBC havia anunciado que embora não fosse haver a 5ª temporada de Doctor Who esse ano seriam exibidos 4 especiais durante o mesmo período. Agora, os infelizes disseram que só vão ter 2 e o primeiro já saiu, The Plant of the Dead, ou seja, SÓ VAI TER MAIS UM MÍSERO EPISÓDIO QUE SÓ VAI SAIR LÁ PRO FIM DO ANO!

Agora que já de a infeliz notícia, da licensa, vo ali me afogar na pia do banheiro D:

Deixe um comentário

O Ikaro da…

…um iPod Touch pra você. Sim, isso mesmo, se vccê, assim como eu, deseja uma dessas belezuras, os seus problemas acabaram….Basta fazer um post sobre a promoção que o  Ikaro está fazendo e que voê pode acessar diretamente clicando aqui.

Não perca tempo e entre na disputa, tem até gente que já ganhou e quer um bi. =D

ipod

1 comentário

Twittando

twittess

Não faz muito tempo que eu resolvi usar mais o Twitter, mesmo que dificilmente poste alguma coisa lá, mas vejo as atualizações de algumas pessoas que considero de “conteúdo interessante.” Hoje rolou um causo por uma entrevista da Tessália (aka @twittess) pra revista Playboy, rapidamente seguido por uma “campanha” de um ensaio fotográfico da mesma (ao qual, obviamente, eu aderi =D ) e gente criticando a fama que ela conseguiu alegando que  só foi conseguida por ter vários seguidores e só tem vários seguidores por ter fama (cuma? o.O )……

Vi falando sobre isso aqui, aqui e uma interessante entrevista aqui em que ela toca em um ponto delicado:

Twittess: Mesmo dentro da “nova” web 2.0 já é possível perceber um antes e depois. Alguns blogueiros estão acostumados com o antes. Eles apareceram numa época comparada à uma pós ditadura. Uma época em que criar um blog era quase um ato de rebeldia, uma afronta ao poder centralizado da informação pelos grandes jornais. Foram os precessores, os desbravadores, os iniciantes. Era uma época em que era necessário ser mais rígido, mais ríspido, combater algo. Formaram legiões de fãs, e conseguiram um público fiel. Bem, como todo bom porquinho que chega a poder, que se preze, agora eles ficam assustados com uma nova era, dentro de uma mesma era 2.0. É uma nova revolução. Eles tentam se adaptar ao microblog, mas estranhamente, seus seguidores são apenas os que migraram de seus blogs para o twitter. Eles não tem novos seguidores. Seus números não crescem. Eles não fazem sucesso na nova mídia. Eles são uma adaptação, e como foram os primeiros portais de notícias e jornais, que apenas adaptavam o conteúdo. Eles nasceram no 2.0, mas esta é a 2.1. Aqui, mais do que gorjear, vale mais quem consegue que a mensagem seja uma troca. Refletida, repassada, repercutindo e, como num boomerang, voltando mais forte, com mais opiniões e impressões.

Como disse no início do texto, não tenho tempo suficiente de Twitter pra concordar ou discordar se esse ponto de “seus números não crescem” é verdadeiro (mas sinceramente não acredito). Por outro lado, também não entendi o motivo de tanto ataque em cima dela. Ok, alegam uso de script pra que ela tenha tantos seguidores, o que eu considerei uma falha ela não aceitar falar sobre na entrevista.

Eu penso da seguinte forma, por mais que ela tenha utilizado de scripts pra conseguir o número de seguidores que tem, se ela não escrevesse nada que agradece quem está lendo, rapidinho iriam excluir ela da lista de seguidos.

Pessoalmente, quando fiz minha conta, ela foi a segunda pessoa que segui e a encontrei futucando os seguidos e seguidores dos seguidores da primeira pessoa que segui (confuso? o.O ), então não fui adicionado por script. My point is, assim como qualquer outro seguido de minha parte, só mantenho a twittess por achar interessante os posts dela, eles me fazem rir algumas vezes, so what?

Nesse post, o Cardoso comentou e citou comentários sobre o causo. Eu fiz um comentário indagando qual seria exatamente o problema sobre essa discussão. Todo mundo posta o que está fazendo e sobre o que gosta ou não, fato, então acho contraditório querer criticar a relevância do que ela escreve, porque se for o caso, todo mundo invariavelmente sofre do mesmo problema.

Eu não li a entrevista da Twittess pra Playboy, pelo menos não ainda, e não sei o que ela falou, mas uma coisa eu posso afirmar, não tem como comparar blogs com Twitter, a abrangência de um artigo em um blog é muito maior do que qualquer coisa que se possa escrever com 140 caracteres. Eu leio blogs que mantém a relevância e qualidade nos textos. O fato de o autor ser famoso ou um iniciante não quer dizer nada. Essa fama da twittess pode ser injustificada, mas aí eu pergunto, quem deu importância a essa fama? Ela mesma, os seguidores dela ou a Playboy que tirou do nada que ela era famosa por te 44.000 seguidores?

O assunto fica aberto a interpretação de cada um.

7 Comentários

Ironia

Sabe aquelas recém-aborrecentes que só precisa ver um famoso e já cai de amores? Pois é, aconteceu isso comigo.

Tava eu lendo meus feeds e quando passei no Judão dei de cara com esse post com uma entrevista com essa criatura M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A-M-E-N-T-E linda abaixo. Cara, esse sorriso daí me encantou de um jeito que eu fiquei xonadão, juro. Sei que é ridículo pra um cidadão de 28 anos ficar assim, mas caceta, quem escolhe por quem se apaixona? Pelo menos o mínimo de noção pra não ter ilusões sobre a coisa eu tenho, ninguém vai me ver por ai xoramingando “ooooooh, Odette…..onde estás….”

odette.yustmanOdette Yustman, ladra de corações

Enquanto posto, algumas teorias passaram pela minha cabeça. Creio eu, que eu tirei essa paixão pelas frustrações e traumas que sofri, aí como não consigo encontrar alguém especial pra mim personalizei meus desejos na Odie (ói a intimidade).

OH GOD, somebody kill me, please! *-*

3 Comentários

Passivo-agressivo e auto-isolamento

Passando pelo 30 & Alguns, vi um link pra um texto da Liliana que define minha “capacidade” (ou falta dela, se preferir) de não atender a convites feitos por amigos de ir a algum lugar. No texto da Liliana ela fala que “o agressor passivo-agressivo (leia o texto para entender) tem muitos sentimentos de raiva e ódio maltrabalhados dentro dele” o que também se aplica a mim, mas por motivos que não tem haver com os convites ou minha vontade/disposição de atende-los.

Sempre me senti mal por não corresponder a esses convites por temer que as pessoas me considerem esse agressor-passivo, porque quando você para pra pensar no assunto você se da conta que quando você convida alguém pra ir a algum lugar (seja um shopping, cinema, no barzinho da esquina ou numa festa de aniversário) e a pessoa diz que não pode é uma coisa, mas quando TODAS as vezes que você convida essa pessoa ela diz que não pode ir (explicando ou não seus motivos) você começa a pensar que essa pessoa tem alguma coisa contra ou não se importa com você.

Nunca havia realmente conseguido definir o que faziaeu sentir esse medo, mas depois de ler esse texto da Liliana foi como se ele estivesse falando pra mim “é isso aqui, meu querido!”

No caso, os motivos pra eu sempre estar “rejeitando” esses convites é a falta de trabalho que resulta em falta de dindin mesmo, e conflitos internos em casa me impedem de fazer “solicitações” sobre o assunto. As vezes acabo até meio que me afastando das pessoas pra evitar esse tipo de mal estar e não fico muito melhor por me sentir sozinho por causa disso, mas ainda assim é preferível isso a sentir que as pessoas acham que eu não me importo com elas, principalmente quando são pessoas que eu gosto.

1 comentário

Abandono?

É estranho olhar isso aqui assim vazio e abandonado. Sinto com se estivesse abandonando alguém mesmo vivendo reclamando que me sinto abandonado por algumas pessoas. Acho que vou tentar voltar a escrever aproveitando que ando me sentindo um pouco animado com umas possibilidades.

Que este ano realmente seja um ano de coisas novas e mudança de vida pra mim.

Deixe um comentário