Eric Souza

Este usuário não compartilhou nenhuma informação biográfica

Página Inicial: http://ressoando.wordpress.com

Flagrantes

Essa veio pelo Formspring, na minha mania de perguntar pros outros se já tinha sido flagrados, ou quase, em momentos de intimidade/calientes, a mesma pergunta foi virada contra mim, por justiça, já que algumas pessoas responderam e desenvolveram suas histórias resolvi desenvolver as minhas também e como achei que ficaram interessantes achei que seria uma boa postar aqui nesse meu bloguenho que anda tão abandonado. Então, sem mais delongas, apresento-lhes meus Fail Moments.

Meus fails aconteceram respectivamente duas vezes e meia com minha ex e uma com a Eve, a primeira vez, estamos nós (eu e minha ex, no caso), a sós na casa dela, tchubirubis, tudo no mai mió de bom quando de repente o irmão dela resolve chegar BEM MAIS CEDO em casa. Pior que não posso nem falar “pegando a gente com as calças na mão”, porque a gente já tava sem calça faz tempo…O cara chamou, chamou, chamou e quando ela abriu só um pouco a porta do quarto o suficiente pra espiar escondida atrás dela o cidadão percebeu o óbvio e “se pirulitou-se”…Meia vida até olhar na cara do sacana de boa depois disso. ^^

A segunda eu não lembro muito bem, acho que foi aqui em casa. A gente começou a dar uns pegas mais calientes, ficamos com fogo e quando íamos correr pra um cantinho a sós eu não lembro quem apareceu e flagrou a gente com a mão naquilo e aquilo na mão. Vergonha….completa vergonha….A pessoa tratou de vazar na hora e o clima que a gente tava cabo total….

A “meia vez” é porque não foi exatamente um flagra direto. A história completa e na íntegra está aqui. Simplificando, foi colocada uma panela de pressão no fogão que nós deveríamos cuidar, mas esquecemos da vida e a infeliz acabou explodindo no sentido literal da palavra. Óbvio que apareceram milhares e zilhões de vizinhos pra ver o que aconteceu enquanto eu e a ex ficamos sem reação na cama e eu só tive tempo de colocar um vestido nela de qualquer jeito. D:

A última foi com minha saudosa and lost love Eve. A mãe dela, a melhor sogra do mundo, ficava o dia todo fora trabalhando e nozes ficávamos sozinhos em casa. Já viu, né? Um belo dia de verão (que na verdade era inverno) minha amada sogrinha resolveu esquecer alguma coisa que precisava no trabalho em casa e como a Eve tava com uns problemas de saúde e ela não queria que ela ficasse sozinha, não pediu pra que eu levasse e voltou em casa pra buscar. Epic Fail, dude, epic fail….bem…em partes…o que ela precisava eram uns arquivos que estavam num pendrive que ficou no pc que ficava no quarto da Eve que era onde nós estávamos realizando procedimentos de extrema afinidade emocional quando a sogrinha adentra no quarto resmungando e pronuncia “EU TINHA QUE TER ESQUECIDO ESSA PORRA DESSE PENDRI…..OOOOOOOOH, ai meu Deus…meu netinho….é o meu netinho, não é? Vocês tão preparando meu tão sonhado netinho, não é?” Parafraseando o Morróida: P-U-T-A-Q-U-E-M-E-P-A-R-I-U-V-A-I-T-O-M-A-R-N-O-M-E-U-C-U-! Velho, eu NUNCA tinha tomado uma porra de um susto tão filhodaputamente escroto como aquele. A Eve deu um puta pulo da cama puxando o edredom pra cobrir a gente e começou a reclamar que ela era louca de ir entrando no quarto assim sem bater na porta ou sem falar que tinha chegado em casa. Mas quem disse que a sogrinha queria conta??? A mulher ficou completamente emocionada que a gente tava “preparando o meu querido netinho!” Sério cara, aquela mulher era única, aliás, as 2 eram únicas.

E essa vida fdp que tirou as 2 de mim. Puta saudade do caralho delas. =(

Deixe um comentário

Convites para Novo Orkut e Google Wave

Seguinte, aparentemente levaram a sério quando falei no post anterior que eu daria o convite que faltava APENAS pra uma guria que fizesse um strip pra mim no MSN, próxima vez que fizer uma coisa do tipo adicionarei a seguinte imagem pra dar back up a minha idéia:

Sarcasm

Anyway, agora  disponho de convites tanto para o Novo Orkut quanto para o Google Wave e todo o trabalho que você precisa é postar um comentário com o seu e-mail. Fácil não? Bem isso para o  Wave, para convites do Novo Orkut me adicionem lá, mas me dou ao direito de não aceitar todo mundo e/ou excluir a pessoa após enviar o convite. Também posso adicionar em uma conta fake quando acabarem os convites da conta original.

É isso, como diria o Indiana Jones “Fortune and Glory, kid, fortune and glory…”

3 Comentários

Novo Orkut e a caça aos convites

Sem nada pra fazer, abri o Orkut e saí procurando por comunidades sobre “convites pro novo Orkut” e sinceramente, eu to rindo MUITO com isso. É um caso explícito de como as pessoas NÃO leem as explicações que colocam sobre as coisas.

Em um post de uma comunidade a pessoa colocou os prints do blog oficial do Orkut explicando como se ganha os convites e de que maneira eles são passados, através de convites de algum amigo que já possua essa nova versão. Mas pra que ler se encher o tópico da comu com derivações de “manda um convite plx miguxodoidoporconvite@novoorkut.com” obviamente vai render um rápido convite?

É, a guerra pelos convites ta rolando…e sinceramente? Ta hilária de se ver. Sério. Onde mais você vai ver gente adicionando aplicativos inúteis, virando o monitor de cabeça pra baixo, fazendo combinações no teclado e até fazendo strip pra conseguir um convite? Opa…eu falei strip? Sim, sim, é verdade, tem algumas desesperadas que até aceitam se dispor a esse ponto por um. De minha parte, só posso dizer, ainda tenho um convite, caso você bela leitora paraquedista que chegou aqui pelo Google procurando por formas de conseguir um convite, saiba que esse convite extra pode ser seu. Deixe apenas um comentário informando MSN para contato e sua disposição para o strip. =O

Layout Novo Orkut

Update: and we have a winner! Agora só quando eu ganhar mais convites. ;D

Deixe um comentário

De volta para o passado

As vezes nós pensamos “e se eu pudesse voltar no tempo? O que faria?” Confesso que essa idéia tem me passado bastante pela cabeça. Talvez assistir Being Erica seja o motivo pra isso.

Being Erica é um seriado canadense produzido pela CBC Television e é centrado em Erica Strange, sua vida, seus afetos, desafetos e até alguns traumas de personalidade.

Logo Being Erica

Tudo começa quando ela conhece Dr Tom, um psiquiatra que tem a estranha capacidade de enviar sua consciência (de Erica) de volta a algum ponto de sua vida em que ela teve algum tipo de problema que afeta sua vida atual, indo desde conflitos de colégio à morte de seu irmão Leo em um trágico acidente. Erica cresce, percebe que alguns desses problemas existiam apenas na sua cabeça e não eram tão significantes quanto achava que era. Com a ajuda de Dr Tom, Erica muda de vida.

(pausa)

Podem me chamar de influenciável, acho que pra algumas coisas eu realmente sou, mas…whatahell…quem nunca pensou sobre isso atire a primeira pedra! [se esconde atrás da porta] As vezes eu fico pensando, e isso já acontecia muito antes da série sequer ser produzida em 2008, “e se eu pudesse decidir sobre aquele assunto sabendo o que a decisão atual causou? Como afetaria minha vida?” Claro, nós não temos um Dr Tom pra fazer por nós o mesmo que acontece com Erica, mas algumas possibilidades realmente passam pela minha cabeça, como, principalmente,  não aceitar ficar com a Eve quando ela ainda morava aqui, me envolver com algumas garotas no segundo grau e o tipo de envolvimento nesse ponto, algumas alunas de um curso de informática no qual eu era monitor, mais umas de um pré-vestibular que eu fiz, umas gurias de minha adolescência e pré-adolescência e um assunto delicado…minha ex.

Hoje, por mais que eu tenha ficado indiferente sobre ela, seria preciso avaliar muita coisa sobre permitir me envolver com ela ou não.  Sim, eu passei (ou achei que passei, como assim descobri anos depois com a Eve) o inferno no fim do relacionamento. Sim, eu tinha uma outra opção na época e acabei escolhendo seguir por esse caminho, mas o que aconteceu com isso e após isso? Algumas das melhores pessoas que eu conheci eu conheci e me aproximei exatamente por compartilhar com essas pessoas o mesmo tipo de sentimento de ser traído e abandonado. Se não fosse por isso não teria uma “base” pra dar início a nossa amizade. Por mais que eu tenha ficado mal com a situação, eu não trocaria nenhuma dessas pessoas pela minha ex, isso sendo que eu nunca tive contato com nenhuma delas que não por meio virtual (infelizmente).

Pra essas pessoas especiais, meu sincero “I LOVE YOU, BABIES!”

Deixe um comentário

I wonder

As vezes eu fico pensando. Como seres humanos invariavelmente precisamos nos relacionar de alguma forma com os outros. Amizade, apoio, namoro ou qualquer que seja o nível afetivo (ou não). Relacionamentos esses que afetam diretamente a maneira como encaramos e nos comportamos com relação ao que aconteça em nossas vidas.

Hoje tive uma certa discussão com uma pessoa em uma comunidade no Orkut que se originou após afirmar que tenho depressão e essa pessoa insistia em negar a possibilidade com base em alguns conceitos e idéias próprias. Concordo que algumas das coisas que ele disse realmente fazem sentido, mas isso não quer dizer que por isso qualquer pessoa que se encaixe nas situações que ele argumentava não sofra de depressão. Ele argumentava que quem fala tão abertamente sobre isso assumindo que tem depressão na verdade apenas ACHA que sofre da doença.

Bem, eu tenho algo como 10 anos de depressão e já passei da fase de descobrir O QUE eu tenho, assumir que o tenho e mesmo que não peça diretamente por ajuda, falo sobre o assunto como uma forma indireta de pedir essa ajuda. Sim, isso é sinal de timidez.

O que eu tirei disso foi que, como argumentei na discussão, quando se está do lado de fora é mais fácil falar (coisa que outra pessoa havia falado sobre outro assunto em discussão anteriormente). O que acontece com quase todo mundo é que quando se vê uma pessoa triste e deprimida as pessoas costumas deixar ela de lado por não querer coisa com o ou a “baixo astral” (é mais cômodo não se importar mesmo) e taxar a pessoa com qualquer coisa que desmereça qualquer coisa que ela esteja passando. Falta-se tato e sobra-se arrogância pra julgar as pessoas. Humildade pra entender que os outros sentem as coisas pra que.

No início eu fiquei irritado por alguém que nem me conhece ficar levantando hipóteses sobre como administro minha vida (ou não). Eu que sei os danos que as coisas que me aconteceram me causaram. Nunca consegui descobrir nesses mais de 10 anos de depressão o que me levou a ficar dessa forma, mas poderia citar cada simples acontecimento que “contribuiu” para agravar minha situação, acontecimentos que não foram poucos e que, aliás, fecharam com chave de ouro com a perde da única pessoa com quem consegui me envolver afetivamente depois de uma decepção. O que pra maioria das pessoas pode ser algo que leve alguns dias, talvez meses, aumenta exponencialmente de gravidade quando a pessoa já tem problemas emocionais. Meu último relacionamento deixou marcas profundas como perda de confiança nas pessoas e um aumento na minha timidez que “evoluiu” pra uma fobia social.

Claro, isso tudo não conta e não passa de uma “cômoda crise existencial” nas palavras da pessoa inicialmente citada nesse texto. Qual o problema que eu tenha traumas por problemas e coisas ruins que tenham acontecido na minha vida? Eu falo sobre eles “com prazer” então eu não tenho depressão. E daí que constantemente a angústia me faz querer enfiar uma bala no meio da testa? Eu falo sobre eles “com prazer” então eu não tenho depressão. E daí que hora ou outra algum sintoma psicossomático aparece como se fosse uma doença sem causa sem que eu tenha nenhum descuido em especial que me faria sofrer desse tipo de coisa? Eu falo sobre eles “com prazer” então eu não tenho depressão.

As vezes me da uma crise de pessimismo e eu acho que ta todo mundo pouco se lixando pra mim e me ignorando de qualquer jeito. Quando acontece alguma coisa e eu comento sobre isso, sempre que vejo respostas dizendo que “eu estou assim porque eu quero” só faz reforçar ainda mais meu pessimismo e faz com que eu sinta mais desgosto por ter que viver rodeado por pessoas que não se importam comigo.

É demais querer que alguém estenda a mão e mostre que ainda existem pessoas que se importam e estão dispostas a ajudar alguém que precisa de um ombro amigo?

Deixe um comentário

I dreamed a dream

Hoje eu tive um sonho
Como não havia tido por muito tempo
Hoje eu sonhei que estava feliz
Sonhei que você estava comigo
Correndo por entre as flores
Com o vento como guia
Sonhei com o seu sorriso
Em como ele me aquecia
Você apenas me levava
Para uma terra de alegrias
Procurando o seu abraço desejei
Nunca acordar dessa fantasia

1 comentário

@twittess haxod

É cara, e não contentes com a fama da @twittess, hackearam a conta, detonaram com DMs, seguidos e seguidores dela.

De boa, no meu post sobre o “caso twittess” não sei se chegou a parecer que eu tava defendendo algum dos lados. Eu não estava, mas independente disso, só posso achar que alguém se doeu com o que ela falou na entrevista sobre alguns blogueiros estarem com medo de perder seu lugar na nova mídia social e resolveu atacar diretamente ela.

Pergunta: pra quem critica ela por relevância/importância/mérito da fama, não tão se importando demais com a “existência insignificante” da garota?

Faz favor, né.

1 comentário

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.